Após acidente grave, transportadora é fechada pelo governo nos Estados Unidos

por Blog do Caminhoneiro

A Federal Motor Carrier Safety Administration (FMCSA) faz parte do Departamento de Transporte dos Estados Unidos, e é um órgão extremamente rígido no controle de qualquer violação de leis por motoristas profissionais ou empresas de transporte. E essa rigidez encerrou a operação de uma transportadora apenas 4 dias após um grave acidente registrado  no último dia 07 de fevereiro em Vernal, no estado norte-americano de Utah.

De acordo com a polícia rodoviária daquele estado, o caminhão transportava tubos para um campo petrolífero, quando o motorista perdeu o controle e acabou saindo da pista. O caminhão capotou e o caminhoneiro faleceu em decorrência dos ferimentos.

Em investigação, a FMCSA descobriu que a empresa proprietária do caminhão, chamada de 4 Life Transport, anteriormente era a Adversity Transport, que também teve suas operações encerradas pela agência, no dia 25 de janeiro. A 4 Life foi aberta no dia em que a Adversity foi fechada pela FMCSA.

A Adversity Transport foi obrigada a parar de operar por causa de diversas violações, como problemas nos veículos, motoristas sem exame toxicológico em dia, tempo de direção e outros. A empresa também não conseguiu garantir que seus caminhões eram seguros, e, nas estradas, os caminhões foram flagrados com problemas nos pneus e freios, por exemplo.

Também faltavam cursos de qualificação para os motoristas, e houve um acúmulo de infrações, como excesso de velocidade e até por dirigir com a carteira de motorista profissional suspensa.

Com todos os problemas, que continuaram quando houve a mudança de nome para tentar burlar as regras da FMCSA, a transportadora foi obrigada a parar imediatamente suas operações em todo o território norte-americano, já que é considerada um risco para a segurança rodoviária do país.

“A segurança é a principal prioridade da FMCSA, e nunca há uma tarefa mais urgente para a Agência do que remover um veículo que seja um risco iminente, como os da 4 Life, das estradas de nossa nação”, disse o administrador interino da FMCSA, Robin Hutcheson.

Além da exigência da interrupção das atividades, a empresa recebeu multas, e fica ainda sujeita à outras penalidades, como mais de US$ 56 mil em multas caso volte a violar a ordem da FMCSA. Ainda existe a possibilidade de prisão dos proprietários, caso seja entendido que as violações sejam intencionais.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!