Capital do Canadá declara estado de emergência por protestos de caminhoneiros

por Blog do Caminhoneiro

Há dez dias, a capital do Canadá, Ottawa, está com as ruas tomadas de caminhões, em um protesto dos motoristas contra a obrigatoriedade do passaporte vacinal para operações entre o Canadá e Estados Unidos. Devido ao bloqueio da cidade, o prefeito de Ottawa, Jim Watson, declarou estado de emergência.

“Declarar um estado de emergência reflete a séria ameaça à segurança dos moradores representada pelas manifestações em andamento”, disse o gabinete do prefeito Jim Watson em comunicado.

Além dos milhares de caminhões, o protesto ganhou apoio de outros milhares de cidadãos canadenses, que ocupam a cidade há vários dias. Esses cidadãos fazem parte de grupos que também se manifestam contra a vacinação obrigatória.

As ruas da cidade estão cheias de caminhões, automóveis e diversos acampamentos dos manifestantes. Com a ajuda da população, os caminhoneiros estão recebendo água, comida e combustível para se manterem no protesto.

O “Comboio da Liberdade” inicialmente protestou contra a obrigatoriedade de vacinas para caminhoneiros que viajam pela fronteira EUA-Canadá. Alguns caminhoneiros percorreram o Canadá por uma semana antes de chegar à capital.

Essa obrigação, imposta em 15 de janeiro, exige que os caminhoneiros apresentem comprovante de vacinação para cruzar a fronteira. Os caminhoneiros sem vacina são obrigados a ficar em quarentena e fazer um teste de COVID-19 quando retornarem dos EUA. Uma obrigação semelhante para os caminhoneiros dos EUA foi imposta em 22 de janeiro.

A polícia de Ottawa disse que sete pessoas foram presas e cerca de 100 receberam multas em relação às manifestações em andamento. As prisões foram por danos materiais e danos a uma empresa. O comunicado da polícia disse que havia um total de 60 investigações criminais relacionadas ao protesto.

A polícia também informou que poderá prender qualquer pessoa transportando itens para os caminhoneiros que participam das manifestações, como combustível.

Mesmo após dez dias, o caminhoneiros estão irredutíveis, e os organizadores do movimento dizem que só irão encerrar o protesto quando o governo canadense ceder. Com esse impasse, já que o Canadá não da sinais de remover a obrigatoriedade da vacina, deve manter os protestos por mais alguns dias.

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, foi levado para um “local seguro”, junto com sua família, logo no início das manifestações. Ele não se pronunciou sobre o movimento dos caminhoneiros.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro | Fotos Getty Images

Deixe um comentário!