Kress Coal Hauler é um caminhão diferente de tudo o que você já viu

por Blog do Caminhoneiro

Operações de mineração exigem equipamentos pesados especialmente concebidos para atenderem às demandas das mineradoras. Entre as necessidades, estão a alta capacidade de carga transportada, com baixo consumo de combustível e conforto para operação. E algumas dessas operações tem ainda mais particularidades.

É o caso da mineração de carvão. Como as empresas precisam de altos volumes de cargas transportadas, são necessários caminhões com compartimentos de carga imensos. Pensando nisso, a empresa Kress Corporation desenvolveu o Kress Coal Hauler 200CIII, um caminhão com grande capacidade de carga e baixo centro de gravidade, próprio para o transporte de carvão mineral.

Diferente de outras opções do segmento, esse gigante tem oito pneus, sendo duplos inclusive na dianteira, descarregamento por baixo da caixa de carga, como acontece com vagões de transporte de minério, e pneus dianteiros que podem ser esterçados em 85º, garantindo grande manobrabilidade.

Como tem o centro de gravidade baixo, devido à caixa de carga ser posicionada entre os eixos, e não acima deles, o caminhão tem um ótimo equilíbrio e estabilidade, oferecendo maior conforto para o operador e também menos desgaste de componentes, especialmente do sistema de eixos.

O caminhão é equipado com um motor CAT 3516C HD, com potência de 2.100 cavalos, posicionado na traseira, e conta com uma transmissão planetária de seis velocidades, que garante capacidade para o transporte de até 240 toneladas de carga, totalizando 228 m³ de material sobre a caçamba.

O gigante mede 21,1 metros de comprimento, 6,85 metros de largura e 5,97 metros de altura, e são necessários 2.900 litros para encher os tanques de diesel. Mesmo com tanto tamanho e peso, ele pode rodar a até 68 km/h, garantindo alta produtividade.

Boa parte dos componentes é fornecido pela Caterpillar, o que também garante que a maioria dos países já tenha uma oferta significativa de peças e serviços para esses caminhões.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!