MAZ-7907 – Um dos maiores veículos de rodas do mundo

Durante a Guerra Fria, que durou entre os anos de 1947 a 1991, quanto maior melhor. Estados Unidos e União Soviética competiam silenciosamente para ver quem tinha as maiores e mais poderosas armas, inclusive nucleares, e isso criou equipamentos que não paravam de crescer.

É o caso do MAZ 7907. O caminhão de 12 eixos é um dos maiores veículos de rodas do mundo. Ele foi desenvolvido no inicio da década de 1980, para transportar um míssil intercontinental chamado de RT-23 Molodets, que tinha mais de 100 toneladas e podia transportar até dez ogivas nucleares, voando por mais de 10 mil quilômetros até atingir o alvo.

Para o transporte de um míssil tão grande, era necessário um veículo com uma capacidade de carga excepcional, além de oferecer tração em qualquer tipo de terreno. Nascia assim o MAZ 7907, com um projeto iniciado em 1983, pelas mãos do designer bielorrusso Boris Lvovich Shaposhnik, dentro da Minski Awtomobilny Zavod, ou MAZ.

Duas unidades ficaram prontas em 1983, sendo que apenas a primeira ficou operacional. Eram 28,1 metros de comprimento, 4,69 metros de largura e 4,45 de altura, com tração 24×24, ou seja, em todas as rodas, e oito eixos direcionais, sendo os quatro dianteiros e quatro traseiros, com um raio de giro de quase 28 metros.

O chassi era dividido em duas partes, com uma articulação limitada no meio, para evitar que o componente quebrasse devido ao comprimento. A suspensão era independente em cada roda.

O motor, instalado sob a cabine, era uma turbina a gás GTD-1000TFM, com potência total de 1.250 cavalos, que trabalhava com um gerador de energia. Essa eletricidade era enviada para 24 motores elétricos de 30 kW cada, instalados em cada uma das rodas.

A cabine funcionava como um centro de comando, e era operada por três pessoas, sendo o motorista, e dois operadores para o lançador de mísseis. O peso, quando vazio, era de 68 toneladas, e poderia transportar cargas de até 150 toneladas.

A primeira unidade do gigante foi testada por mais de 1.000 quilômetros em rodovias da região de Minsk, na Bielorrússia. As estradas eram fechadas por militares e polícia, e o caminhão rodava em quase absoluto sigilo, sem transportar a carga.

No meio do desenvolvimento do modelo, apesar do sucesso e da aprovação para o transporte de mísseis, o projeto foi cancelado. O gigantesco míssil RT-23 Molodets foi alterado para poder ser usado em trens. Com o fim da Guerra Fria, em 1991, o caminhão foi abandonado na fábrica da MAZ, e permaneceu parado até 1996.

Nesse ano, o monstro foi alugado para o transporte de uma embarcação de 40 metros e 88 toneladas, grande demais para qualquer outro veículo. A viagem durou quase dois meses, e o caminhão se saiu bem, mesmo depois de muitos anos parado. A velocidade média da viagem ficou em 10 km/h. Ao chegar ao destino, no lago Naroch, o caminhão entrou de ré na água, e boa parte das rodas ficou submersa. Mesmo assim, não ocorreram problemas.

Depois desse uso inusitado, o caminhão voltou para a fábrica e segue parado, esperando que um dia possa fazer parte de algum museu ou algo do tipo.

Deixe um comentário!

O Royal Eagle é um Scania 143 como você nunca viu T112MC – Scania desenvolveu modelo exclusivo para a Nova Zelândia Você lembra do seriado “As Aventuras de BJ” nos anos 1980? Caminhões chineses são equipados com cabine de modelo da década de 1970 Conheça o transporte Piggyback, muito usado nos Estados Unidos