DNIT adota metodologia internacional visando mais segurança nas rodovias federais

por Blog do Caminhoneiro

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes – DNIT está incorporando aos seus levantamentos a metodologia internacional que avalia as rodovias em relação ao nível de risco de acidentes e permite a priorização de intervenções a serem realizadas. Denominada Irap (International Road Assessment Programme – Programa Internacional de Avaliação de Rodovias), a metodologia será institucionalizada pelo DNIT, que vai aplica-la na avaliação de toda a malha pavimentada sob sua responsabilidade, totalizando cerca de 55 mil quilômetros.

“Estamos adotando um importante instrumento de gestão, que possibilitará indicar onde é necessário atuar para aumentar a segurança das vias e, ainda, levantar os custos da intervenção”, destaca o diretor de Planejamento e Pesquisa do DNIT, Luiz Guilherme Mello. Segundo informa, é a primeira vez que a metodologia é usada na América Latina em uma extensão dessa magnitude.

Cerca de um milhão de quilômetros de rodovias já foram avaliados com a utilização da metodologia Irap, em mais de 90 países. Este é o programa de segurança viária adotado pelo Banco Mundial.

De acordo com a metodologia Irap, depois do levantamento da imagem das rodovias e de sua codificação, são propostas contramedidas para correção dos pontos sensíveis identificados e realizado um plano de investimentos para implementação das soluções propostas. Nesta primeira etapa, o DNIT está contratando o levantamento de campo. Em seguida, será contratada a codificação do levantamento e o software do programa.

A metodologia Irap será associada ao Levantamento Visual Contínuo (LVC), que já é realizado anualmente pelo DNIT desde a década de 90, juntamente com o levantamento do Índice de Irregularidade da Rodovia (IRI), indicando as patologias do pavimento. A metodologia internacional caracteriza as rodovias por estrelas, que levam em conta o risco individual do tipo de acidente, a probabilidade de início de acidente, a severidade do acidente, quando ocorre, além da influência do fluxo de veículos e a velocidade da via.

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

Artigos relacionados

4 comentários

Geovane 21/08/2019 - 18:16

Devia dar uma olhada pra
Fernão Dias BR 381
Belém/Brasília BR153
Tem pedágios e tá uma merda cheia de trepidação

Reply
Enio Truyts 20/08/2019 - 21:38

Se seguirem padrões alemães , poderemos andar a 300 km/h ??

Reply
Weslei 20/08/2019 - 21:28

Tá de brincadeira, não resolvem nem os problemas que estão na cara e vão implementar método internacional, aqui no espírito santo são dezenas deles.

Reply
Rosemberg SANTOS SANTANA 20/08/2019 - 16:35

Tá fácil é só reformular todas inclusive aquelas mais interioranas no mesmo padrão dos EUA e Europa por exemplo,dadas aos seus respectivos fluxos o método é rodovias nos padrões internacionais.

Reply

Escreva um comentário