Anfavea prevê cenário “menos pior” na produção de caminhões

por Blog do Caminhoneiro

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) divulgou na última quarta-feira os números da produção de veículos no país. De acordo com a Anfavea, a queda na produção será “menos pior” do que o cenário apresentado no meio deste ano, com o auge da quarentena e de muita imprevisibilidade, quando se previam quedas de 40% ou mais.

Agora, a queda estimada na produção de veículos de todos os tipos deve ficar em cerca de 35% no comparativo com 2019, com 1,915 milhão de unidades fabricadas (motos, automóveis, utilitários, caminhões e ônibus). Esse será o pior ano desde 2003.

“Não deixa de ser um alívio diante do quadro que vislumbrávamos no começo da pandemia, e creditamos isso sobretudo à gigantesca injeção de dinheiro feita pelo governo federal por meio do auxílio emergencial, que fez a economia girar de forma mais rápida do que o esperado. Mesmo assim, teremos uma queda dramática de todos os resultados da indústria em 2020, ainda que o último trimestre seja razoável como foi o terceiro”, explica o Presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes.

Produção

Em setembro deste ano, foram produzidos 9.430 caminhões, 28,9% mais que em agosto, quando foram fabricadas 7.316 unidades. Apesar da alta, o número ainda é 9,4% menor que setembro de 2019, que teve 10.406 caminhões produzidos.

No acumulado do ano, a queda na produção é de 33,3%. Entre janeiro e setembro deste ano, foram produzidos 58.304 caminhões no país, ante 87.452 no mesmo período de 2019.

Os caminhões pesados são os mais produzidos, com 4.100 unidades em setembro e 28.099 unidades no acumulado do ano.

Para o último trimestre do ano, a Anfavea espera números similares aos de setembro.

“Se por um lado há sinais positivos, como a redução dos casos de covid-19, o alto interesse pelo transporte individual e o tradicional aquecimento do mercado no fim do ano, por outro há riscos como a redução do auxílio emergencial, a queda no nível de renda, a alta do desemprego e o aumento da inflação”, exemplifica Luiz Carlos Moraes.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

Artigos relacionados

1 comentário

RENÊ COSTA 10/10/2020 - 12:33

DEIXE ME EXPLICAR O QUE OS TAIS ESPECIALISTAS E MÍDIAS NÃO FALAM PARA OS BRASILEIROS. A VERDADE QUE QUEM COMPRA CAMINHÕES NOVOS SÃO OS BANCOS BRASILEIROS , ISSO PORQUE SOMENTE EMPRESAS CONSEGUEM FINANCIAMENTOS PARA AQUISIÇÕES DE CAMINHÕES NOVOS ISSO É BEM CLARO. LOGO DÃO O CALOTE E FICA POR ISSO MESMO, FECHAM AS EMPRESAS E AÍ TUDO BEM LAVAGEM DE DINHEIRO NOSSO BRASILEIROS 👁️👁️

Reply

Escreva um comentário