CARRETEIRO SONHADOR – Scania LK 141 – 6×4

por Blog do Caminhoneiro

O asfalto liso e sem buracos.
É um convite à velocidade.
Ser caminhoneiro não é para os fracos,
Tem de ser bom de braço na verdade.

Dirigindo Scania LK cor branca.
Meu cavalo é uma máquina quente.
Engate preciso, segura a alavanca.
Sou um carreteiro boa gente.

No graneleiro puxando grãos.
Carreta baú leva secos e molhados.
No volante mantenho firme as mãos.
Desse País conheço todos os lados.

Acelero e o motorzão V8 responde.
Tenho visão privilegiada no segundo andar.
Se quiser saber de um lugar pergunte-me onde.
Com meu Scania já estive em todo lugar.

Minha máquina é bem equipada.
Do lado de fora para os olhos um colírio.
Na cabine, cama ajeitada.
Para os invejosos, vê-la é verdadeiro martírio.

A bordo, perfume de jasmim ou lírio.
Estofamentos, vermelho é a cor.
No sofá-cama levo as mulheres ao delírio.
Com muitas me entreguei e fiz amor.

A chuva cai suave e mansa.
Exigindo mais atenção do condutor.
Meu potente Scania não se cansa.
Para puxar a carga, sobra o motor.

Conforto garantido com ar condicionado.
Não importa qual seja o clima.
Desfilo pela pista com meu cavalo trucado.
Visão privilegiada no andar de cima.

Não sou de contar vantagem,
Mas dirijo o melhor estradeiro.
Com prazer, faço cada viagem.
Conheço bem esse solo brasileiro.

Andando em alta velocidade.
Fui perseguido por marginais.
Queriam meu estradeiro na verdade.
Para fugir não sabia o que fazer mais.

Coloquei a carreta na pista do meio.
Bandidos se aproximavam com rapidez.
Não ser morto era meu anseio.
Carros me perseguindo eram três.

Um dos carros e carreta, pareados.
Outros dois veículos na minha cola.
Os criminosos bem armados.
Um deles me apontou uma pistola.

Eu olhava esperando a morte.
De tão perto não teria como errar.
Não tinha mais ao meu lado a sorte.
Contra eu, ele se pôs a disparar.

Ser morto naquele momento, meu receio.
Tentar impedir os bandidos era ilusório.
Acordei de meu desvairado devaneio.
Estava sentado na poltrona do escritório.

Sonhei que era um carreteiro destemido.
Livre, viajando por todo lugar.
Porém, na hora que seria morto por bandido.
Agradeci a Deus por em segurança estar.

Autor: Roberto Dias Alvares

COMENTAR

Artigos relacionados