Novos Volkswagen e-Delivery têm 408 cavalos de potência e 2.150 Nm de torque

Os números são impressionantes! Imagine conduzir um caminhão médio, com capacidade para 11 ou 14 toneladas, mas que tem quase a mesma potência do seu irmão bem maior, o Meteor 28.460. Isso é possível graças ao motor elétrico que equipa o caminhão Volkswagen e-Delivery, que tem potência de 300 kW, ou 408 cavalos, com torque de 2.150 Nm.

O Meteor 28.460 tem potência de 460 cavalos, com torque de 2.300 Nm. Já o Delivery de 11 toneladas, com motor diesel Cummins ISF 3.8L, tem potência de 175 cavalos e torque de 600 Nm, menos de 1/3 do modelo elétrico.

Apesar da potência tão alta, o veículo conta com sistema eletrônicos que dosam a força, considerando uma série de variáveis do transporte, como peso da carga, inclinação, velocidade da viagem e outros, isso para evitar uma aceleração muito rápida ou o desperdício da energia das baterias.

A potência máxima pode ser usada, por exemplo, para arrancar em rampas com até 28% de inclinação, mesmo carregado, já que o torque do motor já é todo entregue na primeira rotação, algo que só acontece no modelo diesel entre 1.100 e 1.700 rotações.

Esse desempenho é fruto de uma calibração minuciosa para operações severas. Suas curvas de torque e de potência são exclusivas e inéditas, capazes de atender a uma ampla gama de aplicações. Trata-se de um motor síncrono de imã permanente de corrente alternada.

Também compõe o veículo um inversor de tração, que atua como o cérebro do motor, recebendo os comandos de como o motor deve atuar, etambém funcionando como dosador da potência e do torque.

Na questão da autonomia, o e-Delivery pode receber três ou seis pacotes de baterias, com autonomia de 110 ou 250 quilômetros, que varia de acordo com a configuração do veículo e a aplicação, carga transportada e relevo, por exemplo.

O motor elétrico também funciona como um poderoso freio regenerativo, que recupera até 40% da energia gasta durante as frenagens, e funciona como um carregador das baterias. São três estágio de frenagem, e o sistema, além de economizar energia, garante uma ampliação considerável dos componentes do sistema de freios, já que o pedal pode ser menos acionado.

As baterias são de íons de lítio, que contam com um design otimizado para que os conjuntos fiquem mais leves ao mesmo tempo que oferecem uma das melhores densidades de energia do mercado. Além disso, são livres de níquel, cobalto e manganês, sendo a opção mais sustentável.

Elas são refrigeradas a água, com controle de temperatura para prolongar sua vida útil e também podem ser aquecidas, se necessário. Tudo isso de forma totalmente segura. O e-Delivery opera com uma tensão nominal de 650 volts. Todos os componentes do veículo foram desenvolvidos para operar de forma eficiente, sendo acionados apenas quando necessário.

A recarga pode ser feita por meio de uma corrente contínua de 150 kW, acima da maioria das opções disponíveis no mercado, o que reduz significativamente o tempo do veículo parado nas estações de carregamento e aumenta a disponibilidade ao usuário. Para a operação, o padrão de tomada é internacional, o CCS-2, seguido também pelo mercado europeu e pela maioria das montadoras de veículos elétricos.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Siga o Blog do Caminhoneiro nas redes sociais

Deixe um comentário!

Conheça a rodovia mais longa do Brasil Velho caminhão americano é transformado em carro de passeio muito estiloso Você sabia que o 1° FNM produzido no Brasil era bicudo Conheça os coloridos caminhões do Paquistão Chevrolet C68 é transformado em monstro rat rod