ASSISTA: Carga Solidária Iveco 2021 foi realizada na cidade de Cantanhede-MA

por Blog do Caminhoneiro

A cidade maranhense de Cantanhede foi a escolhida para a edição 2021 do Carga Solidária, onde a Iveco retoma a importante iniciativa, neste ano, indo para a estrada em busca de histórias que foram interrompidas.

Para a Iveco, o projeto vem carregado de emoção para apoiar iniciativas nas áreas da cultura, educação e saúde que sofreram com os impactos da pandemia.

“Nossa atuação é um pequeno gesto que tem como objetivo colaborar com pessoas que vivem na cidade e mantém o espírito de união da comunidade em alta mesmo em tempos tão difíceis”, disse Maurício Corrêa, gerente de Marketing da Iveco.

Devido à pandemia de Covid-19, a cultura em todo o mundo foi muito afetada. Na cidade em que a Iveco realizou a ação, acontecia a Festa do Tambor, que deixou de alegrar a vida de muitas pessoas, como a Dona Maria, de 70 anos, que é moradora da zona rural daquele município.

Aposentada, ela costurava as saias e era uma das dançarinas mais animadas da festa típica. Antes da pandemia, quando a máquina de costura dela parou de funcionar, ela costurava à mão as saias. Com as cinco novas máquinas de costura, e os tecidos e insumos doados pelo Carga Solidária, isso não será mais necessário e a alegria da festa voltará a tomar conta dos participantes.

Outra iniciativa que envolve cultura local e fé é a reunião comunitária para promover a boa convivência entre os habitantes da cidade. O encontro mensal é uma tradição e foi cancelado. Com grande parte da população vacinada, esse reencontro finalmente vai acontecer. Dona Neide é representante do movimento e moradora do povoado de Santa Rita. Ao lado de sua casa, ela mantém uma pequena capela feita de barro, que é um dos pontos de encontro que reúne os povoados rurais para conversas, rezas e apoio mútuo. A Carga Solidária marcará esse reencontro com a doação de cerca de 300 brinquedos de Natal para as crianças e miniaturas dos caminhões IVECO para presentear os representantes das comunidades e os personagens envolvidos nas histórias.

A educação, ponto fundamental para o desenvolvimento da sociedade, teve grande revés por conta da pandemia. A Escola Municipal Firmina dos Santos Barros, localizada próxima ao lixão da cidade, teve as atividades presenciais paralisadas. Nesse período, a educadora Gilcineia imprimia apostilas e ia até a casa dos alunos entregar o material escolar. Ela aproveitava as visitas para tirar dúvidas dos alunos, especialmente para aqueles que não tinham acesso a internet para ver os vídeos gravados pelas professoras, e distribuía kits alimentação, já que antes da pandemia os estudantes faziam ao menos uma refeição na escola. Cada família tinha direito a um kit de cesta básica.

Como forma de agradecimento à Gilcineia, e para despertar ainda mais interesse e curiosidade dos alunos nos estudos, o Carga Solidária entregou três computadores, dois kits de laboratório de ciências e um gerador de Van der Graf, que produz cargas elétricas deixando a esfera do gerador eletricamente carregada, além de deixar os alunos de ‘cabelo em pé’.

Outra ação muito importante para a comunidade, com foco na saúde, é a realizada pelo Projeto Florescendo a Melhor Idade, que atende idosos em diferentes condições físicas e mentais com atividades de fisioterapia, lazer e social. Com o apoio do Carga Solidária, Dona Dominga, aposentada de 70 anos que frequenta o local, e seus colegas terão à disposição caixa de som com microfone, bola Suíça para pilates, colchonetes, oxímetro entre outros itens que colaborarão com as atividades que estão sendo retomadas.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!