Em 1970, um tiro explodiu um caminhão carregado de dinamite no Missouri

por Blog do Caminhoneiro

Uma explosão gigantesca, que criou uma cratera com 10 metros de profundidade e 15 metros de largura no meio da rodovia interestadual I-44, ceifou a vida do caminhoneiro John Galt, que transportava sua primeira carga para a Tri-State Motors, no dia 30 de setembro de 1970.

O fato, acontecido há quase 52 anos, foi registrado em Springfield, no estado norte-americano do Missouri, e foi causado por um motorista descontente com a transportadora. Duas semanas antes da explosão, o sindicato dos motoristas entrou em greve, paralisando parte dos caminhoneiros da Tri-State Motors, que pediam melhores condições de trabalho. Apesar da greve, a transportadora continuou operando e contratando novos motoristas, como John Galt.

No dia em que ocorreu a explosão, o caminhoneiro dirigia uma carreta alugada pela transportadora, e, dentro da carroceria, estavam 20 toneladas de dinamite, que seriam entregues em uma área de mineração no sul do Missouri.

Caminhão semelhante ao que Galt dirigia naquele dia

Quando o caminhão que ele dirigia recebeu tiros, um dos projéteis atingiu uma das caixas da carga, causando uma gigantesca explosão, que quebrou janelas há quase 20 quilômetros de distância, e abriu uma cratera no meio da rodovia I-44. John Galt, que era pai de quatro filhos, teve morte instantânea, e seu corpo foi despedaçado e espalhado por centenas de metros. Do caminhão, praticamente nada restou, apenas ferro retorcido.

No mesmo dia, uma pessoa disse que viu um carro com homens que estavam atirando em caminhões naquela rodovia. Como esse motorista anotou a placa, em poucos instantes a polícia localizou os atiradores, bem como um rifle e capsulas de balas.

Bobby Lee Shuler e Gerald Lee Bowden, ambos com 29 anos na época, que eram motoristas da Tri-State Motors, além da esposa de Bowden, Sharon Lynn, foram presos por assassinato. Eles por terem efetuado dos disparos e ela por estar dirigindo o automóvel para eles.

Durante o julgamento, Shuler contou que estava atirando nos veículos da transportadora, e que realizou disparos em um caminhão que estava à frente daquele dirigido por John Galt, mas não conseguiu pará-lo. Ele afirmou ter dado três tiros na carroceria do veículo de Galt, e o terceiro tiro desencadeou a explosão.

Ele também afirmou que não queria ferir ninguém, mas somente danificar os veículos da transportadora, e também que não sabia que o caminhão estava carregado de explosivos, apesar do veículo estar identificado com adesivos, e também pelo fato de cerca de 50% das cargas da Tri-State, na época, serem para mineradoras, a maioria das vezes dinamite.

Em boa parte daquele 30 de setembro, Shuller e Bowden estavam bebendo. Depois da explosão, eles tentaram fugir, mas o carro quebrou e eles se entregaram.

Bowden foi condenado a dez anos de cadeia. Ele saiu sob custódia em 1975 e libertado em 1978. Shuler, que atirou, foi condenado a 99 anos de cadeia, ficou oito preso e recebeu liberdade condicional em 1979. A esposa de Bowden também foi condenada, a três anos de cadeia, mas não existem informações de cumpriu a pena.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!