Salário inicial de caminhoneiros nos EUA deveria ser de US$ 70 mil por ano

por Blog do Caminhoneiro

Como já é de amplo conhecimento mundial, os Estados Unidos enfrentam uma grande escassez de motoristas de caminhão, que, para ser resolvida imediatamente, precisaria de até 65 mil novos caminhoneiros no país. Mas não é fácil, por uma série de problemas que a profissão oferece aos novos candidatos.

Os caminhoneiros mais jovens, convencidos a entrar na profissão com ofertas de altos salários, chegando a US$ 100 mil por ano, veem uma realidade muito diferente após alguns meses dirigindo caminhões. O salário inicial fica na casa dos US$ 47.130 por ano, de acordo com o Bureau of Labor Statistics .

Para a maioria dos novatos, além do salário ser muito diferente do anunciado pelas grandes transportadoras, esse pagamento não custeia a vida na estrada, que é muito cara para os trabalhadores, e também tem uma série de outras dificuldades.

Tempo longe de casa, falta de locais adequados para descanso e para estacionar os caminhões, demora nas operações de carregamento dos veículos, e excessivas regulamentações governamentais, que exigem muito tempo resolvendo burocracia e não dirigindo, são apenas alguns dos problemas citados pelos caminhoneiros que vivem na América do Norte.

E o salário, uma média abaixo dos US$ 4 mil por mês, pode ser conseguido em outras profissões, mais perto de casa e de segunda a sexta-feira, com muito menos exigências. Ou seja, no final das contas, a profissão não consegue convencer os mais jovens a ficarem dentro dos caminhões.

Isso deve levar os Estados Unidos a chegarem às 160 mil vagas para motoristas de caminhão sem candidatos interessados até 2030, de acordo com a American Trucking Associations.

Clayton Atkins tem 25 anos, e trabalha com caminhões desde que saiu do Exército. Com as ofertas que ele viu, de salários altos e caminhoneiros bem de vida, decidiu que a profissão seria a melhor para o período após o tempo militar.

Ele gastou cerca de US$ 4 mil para obter sua carteira de motorista profissional, a CDL, e logo estava na estrada. Ele diz que o trabalho não é o que ele esperava. Começou com entregas de bebidas, depois passou por outras empresas, até chegar às entregas de automóveis, que é menos cansativo e paga um pouco mais.

“Abro sites de emprego e vejo milhares de anúncios de trabalho como motorista de caminhão, com promessas de salários de US$ 100 mil a US$ 120 mil por ano, mas todo caminhoneiro dos Estados Unidos sabe que isso é 100% mentira”, disse Atkins.

De acordo com ele, apenas veteranos com mais de dez anos em uma empresa podem chegar a ver esses salários em suas contas bancárias, mas isso é raridade.

“Por que eu desistiria do que estou fazendo para me tornar um caminhoneiro, viver do meu caminhão por três semanas e ganhar apenas US $ 50.000 por ano quando há um monte de outros empregos onde você pode fazer isso?”, disse o caminhoneiro.

O caminhoneiro também diz que o salário inicial para qualquer caminhoneiro nos Estados Unidos deveria ser de US$ 70 mil por ano. Sem isso, a indústria de transportes dificilmente terá uma virada no jogo e a falta de caminhoneiros só vai se intensificar.

“Essa profissão não é mais a primeira escolha das pessoas. Geralmente é o último recurso”, finalizou o caminhoneiro.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!