Citroën sabotou os próprios caminhões para prejudicar o exército de Hitler




A Segunda Guerra Mundial foi palco de uma das maiores tragédias humanas de todos os tempos. Milhões pereceram na tentativa de Adolf Hitler implantar seu plano de governo ariano no planeta.

Apesar disso, outros milhões lutaram com tudo o que tinham para evitar ou atrasar o máximo possível a expansão alemã durante os anos da guerra. Foi o caso da Citroën, que, com uma sabotagem sutil, prejudicou muito os alemães.

A Citroën é francesa, e produzia carros e caminhões. Quando a França foi invadida pelas tropas de Hitler, em maio de 1940, a empresa foi obrigada a fornecer caminhões para o exército alemão.

A Citroën passou a produzir o caminhão T45 exclusivamente para as tropas do Wehrmacht, que seriam usados para transporte de tropas e de suprimentos.

O presidente da montadora na época, Pierre-Jules Boulanger, sabia que a ordem nazista não podia ser negada. Então, a ordem para os funcionários foi para que eles trabalhassem de forma lenta, sem pressão, para produzir o mínimo de unidades possíveis.

Além disso, para sabotar de vez o avanço alemão, Boulanger pediu que a vareta de óleo, responsável pela verificação do nível de óleo do motor, fosse feita com alguns centímetros a mais do que o projeto original.

Isso fazia com que os alemães usassem os caminhões com menos óleo lubrificante no motor do que o especificado, causando quebras nos motores.

Apesar da sabotagem feita pela Citroën, os alemães nunca souberam do problema, e achavam que os caminhões é que eram ruins.

O exército alemão recebeu, na época, mais de 15 mil unidades do caminhão T45 com a vareta de óleo sabotada.




Um comentário em “Citroën sabotou os próprios caminhões para prejudicar o exército de Hitler

  • 02/08/2019 em 23:57
    Permalink

    Parabéns a citroen que contribuiu para que a guerra não fosse uma tragédia maior.

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!