Exame toxicológico detectou drogas no organismo de mais de 700 mil motoristas profissionais em quatro anos

por Blog do Caminhoneiro

O exame toxicológico passou a ser obrigatório para motoristas profissionais no Brasil em 2016. De lá para cá, mais de 700 mil motoristas de caminhões, ônibus e carretas apresentaram uso de drogas nos resultados dos exames.

Do total, 170 mil tiveram confirmação de alto grau de presença de substâncias ilícitas, a maioria das vezes, cocaína.

O exame toxicológico é obrigatório para renovação da habilitação, e também na contratação ou demissão das empresas. As informações foram compiladas pelo SOS Estradas, com dados do Denatran e Renainf, e também da ABTOX, que reúne os laboratórios que fazem os exames toxicológicos.

Dos 700 mil motoristas que apresentaram indícios de drogas no organismo, cerca de 530 mil estavam abaixo do limite para serem considerados casos positivos, que impediria a condução de veículos.

Para o coordenador do SOS Estradas, Rodolfo Rizzotto, o exame toxicológico de larga janela ajuda na prevenção dos acidentes de trânsito.

“É importante lembrarmos que mesmo na operação Lei Seca a maioria dos condutores flagrados recuperam a CNH em poucos dias e voltam a dirigir após entrarem com recurso. No caso do toxicológico o sistema bloqueia. É preciso apresentar exame 90 dias depois, sem sinal de drogas no organismo”, disse Rizzotto.

Os dados levantados pelo SOS Estradas também mostram que a maioria dos condutores que testaram positivo para uso de drogas no exame toxicológico tem idades entre 30 a 49 anos, cerca de 104 mil motoristas, do total de 170 mil.

Outro dado que impressiona é que mais de 3.600 motoristas com idades entre 70 a 79 anos fazem uso de algum tipo de droga, como anfetamina, cocaína, maconha ou opiáceos.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro | Com informações do SOS Estradas.

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

Artigos relacionados

Escreva um comentário