Empresa canadense vai colocar eixos de tração elétrica em implementos florestais

por Blog do Caminhoneiro

Como parte de um investimento de US$ 2 milhões do Governo do Canadá, a empresa FPInnovations anunciou uma série de ações para melhorar a eficiência da indústria florestal do país. Além de atuar para a transformação digital da indústria e aproveitamento das sobras de madeira após o processamento, a empresa anunciou a eletrificação de implementos para o transporte de madeira.

A empresa irá instalar, em implementos usados, um sistema com um eixo de tração com diferencial, um eixo cardã, motor elétrico e um sistema de baterias recarregáveis, visando a redução nas emissões de poluentes na atmosfera.

Inicialmente, dois implementos receberão o sistema, que serão testados na região de Quebec, em uma operação real. Esse sistema faz com que o implemento ajude o cavalo-mecânico em subidas íngremes, reduzindo o esforço do motor diesel, e consequentemente, o consumo, em até 25%.

Tecnologia já existe no Brasil

Apesar de ser uma novidade no Canadá, a tecnologia já existe no Brasil e foi apresentada pela Randon e pela Suspensys na Fenatran de 2019.

Líder no mercado da América do Sul em Sistemas de Suspensões e Eixos e em Sistemas de Rodagem para implementos, caminhões e ônibus, a Suspensys apresentou ao mercado de transporte de cargas uma solução de otimização energética de contornos disruptivos: o módulo de tração e-Sys.

O conceito utiliza o sistema auxiliar de recuperação de energia gerada durante a frenagem e descidas, capacitando a carreta a ajudar o caminhão a transpor aclives de forma mais eficaz e segura. Dependendo da aplicação, condição de carregamento e da condição da estrada, a economia de combustível pode chegar até a 25%, propiciando, também, menor desgaste dos componentes e menor emissão de resíduos no meio ambiente.

A tecnologia de armazenamento e regeneração elétrica é pioneira na América Latina e foi inspirada na Fórmula-1, que utiliza o Sistema KERS (Kinetic Energy Recovery Systems). Após dois anos de desenvolvimento junto às respectivas áreas de engenharia, laboratórios e campo de provas, quando entrar em escala comercial, ficará disponível também ao mercado nacional e internacional de equipamentos para o transporte de cargas.

“O sistema e-Sys é mais um exemplo da liderança tecnológica das Empresas Randon. Esta inovação reduz o chamado TCO (Total Cost of Ownership, Custo Total de Propriedade, em tradução livre da sigla em inglês) com economia no consumo de combustível e menor tempo nas viagens. Ao mesmo tempo em que aumenta a segurança, com adição do sistema de regeneração de frenagem. E ainda chega com tecnologia green, renovável, portanto mais amigável ao meio ambiente”, afirma o vice-presidente e COO das Empresas Randon, Sérgio L. Carvalho. A aplicação em rodotrens e a topografia continental acidentada brasileira fazem deste sistema uma proposição atrativa para uma ampla gama de frotistas, explica o executivo.

“O sistema e-Sys opera a partir de conjunto eletromecânico formado por uma Unidade de Controle Eletrônico (ECU, na sigla em inglês), bateria, inversor e motor elétrico da WEG acoplado a um eixo desenvolvido exclusivamente para este fim”, diz Sérgio Carvalho.

Para promover economia, os componentes são gerenciados por um algoritmo inteligente especialmente criado para avaliar as condições de operação e uso, permitindo ao implemento aliviar o esforço sobre o cavalo-mecânico em certas situações, como nas subidas.

Conforme o diretor de Tecnologia e Inovação de Produto das Empresas Randon, Cesar Augusto Ferreira, o motor passa a trabalhar como gerador, recuperando a energia cinética e armazenando-a em baterias que alimentarão o motor elétrico da própria carreta. “As características diversificadas do relevo brasileiro, com suas irregularidades em escala continental, associadas às nossas condições de carregamento e relação peso-potência, além das legislações de cargas e acoplamentos, constituem-se num cenário ideal para utilização do sistema e-Sys, que chega para acelerar a otimização energética da combinação de veículo e carga”.

Apresentado ao mercado em 2019, após dois anos de desenvolvimento, o e-Sys está em fases finais de homologação para o início da comercialização em 2022.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

Deixe um comentário!