Apenas 188 caminhoneiros conseguiram realizar o empréstimo para manutenção anunciado em 2019

Dados disponibilizados pelo BNDES ao Jornal Estadão mostram que apenas 188 operações do “Crédito Caminhoneiro” foram realizadas, totalizando R$ 6 milhões liberados pelo banco. O Crédito Caminhoneiro foi anunciado em 2019 pelo Governo Federal, para que os caminhoneiros autônomos e cooperativas de caminhoneiros pudessem realizar serviços de manutenção e compra de peças e pneus para os veículos, com valores de R$ 30 mil por operação, inicialmente, depois ampliado para até R$ 100 mil por operação.

A vigência do programa é até o próximo dia 08 de junho, de acordo com o BNDES, e, apesar de mais de dois anos passados, o Crédito Caminhoneiro não chegou a ajudar os caminhoneiros.

Boa parte da falta de acesso dos caminhoneiros aos empréstimos se deu pela falta de interesse dos bancos em realizarem as operações.

Muitos caminhoneiros relataram terem ido até as instituições financeiras para obter informações, e saíam de lá ouvindo que o Crédito Caminhoneiro não estava disponível, além de receberem informações e ofertas de outros tipos de empréstimos, ofertados pelos próprios bancos.

O valor total que seria liberado pelo BNDES para os caminhoneiros seria de R$ 500 milhões, com anúncio de que o valor poderia ser duplicado, se a primeira parte da verba se esgotasse.

O Crédito Caminhoneiro oferecia taxas de juros baixas, com prazo de pagamento de até 60 meses, com carência de até 12 meses. Os valores ofertados eram de até R$ 100 mil por caminhoneiro autônomo, e para cooperativas, o valor de R$ 100 mil multiplicado pelo número de cooperados, até o valor máximo de R$ 20 milhões.

O BNDES seria responsável por 100% da liberação dos valores, sendo os bancos apenas responsáveis pela operação de crédito.

O Crédito Caminhoneiro chega ao fim sem ter feito diferença na vida dos caminhoneiros.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

2 comentários

Sílvio Dos Reis Soares 03/06/2021 - 17:00

Quando esse bndes ajuda a quem precisa só ajuda empresas pra tomar o cano ,eu preciso comprar pneus e não têm como não sobra dinheiro, essa classe sofrida é de miseráveis tem que acabar.

Reply
EDSON ADEZIO BORBA 02/06/2021 - 16:29

Infelizmente os bancos tendo como oferta e interesse próprio em não pegar o crédito, justamente por ter o próprio crédito com taxas maiores do que o governo disponibiliza, inviabiliza os caminhoneiros de movimentarem, ainda dificultando o setor a respirar.
Haja vista o conhecimento do governo pq não criaram uma forma direta de repassar a quem nesse momento realmente precisa? Fica aqui minha indignação ……

Reply

Deixe um comentário!

Projeto quer acabar com valores de fretes muito baixos Montagem de caminhões no Brasil segue em alta Uso do celular aumenta entre motoristas Rebite – Um grande vilão nas estradas Volkswagen apresenta caminhão conceito Optimus