Volvo desenvolve caminhão articulado movido a hidrogênio

A Volvo Construction Equipment anunciou nesta semana o início dos testes com o primeiro protótipo de caminhão articulado movido com uma célula de combustível de hidrogênio do mundo, chamado de Volvo HX04. Esses testes vão fornecer informações importantes sobre as possibilidades oferecidas pelo hidrogênio e células de combustível à medida que a Volvo CE continua pesquisando seus futuros programas de desenvolvimento de produtos.

“Sendo inventores do primeiro caminhão articulado do mundo há mais de 55 anos, estamos felizes e orgulhosos de impulsionar novamente a mudança com este conceito de caminhão com uma célula de combustível. Embora seja um protótipo inicial, essa inovação fornecerá informações valiosas sobre as oportunidades do hidrogênio na transformação dos combustíveis ao lado de soluções elétricas a bateria. Acreditamos que, explorando várias tecnologias e trabalhando em parcerias, podemos criar o melhor caminho para descarbonizar a indústria da construção”, disse Carolina Diez Ferrer, Diretora de Programas de Engenharia Avançada da Volvo CE.

O projeto foi iniciado em 2018, com financiamento da FFI, uma colaboração nacional entre a Agência Sueca de Inovação VINNOVA, a Agência Sueca de Energia e a Administração Sueca de Transportes, que apoiam a pesquisa, inovação e desenvolvimento estratégicos de veículos sustentáveis.

O caminhão foi construído dentro da fábrica da Volvo CE em Braås, na Suécia. O local é o mesmo onde nasceu o Gravel Charlie, primeiro caminhão articulado do mundo em 1966. O novo caminhão foi batizado de Electric Charlie, em homenagem ao primeiro veículo.

Para o abastecimento do caminhão, que ainda é um desafio, a Shell instalou uma bomba de hidrogênio na pista de testes da Volvo, próxima à fábrica. 12 kg de hidrogênio são abastecidos em apenas 7 minutos e meio, garantindo quatro horas de operação.

Dentro das células de combustível, o oxigênio do ar reage com o hidrogênio dos tanques, produzindo eletricidade por meio de uma reação química, e é essa energia que alimenta os motores do caminhão. Nesse processo, é gerado calor, que é usado para aquecimento da cabine, e o escapamento libera apenas água pura.

Em princípio, uma célula de combustível funciona como uma bateria, exceto que gera sua própria eletricidade a partir do hidrogênio dos tanques, conforme necessário, em vez de ser carregada por uma fonte externa. Os veículos com motorização elétrica a célula de combustível têm tempo de atividade, autonomia e tempo de abastecimento semelhantes aos dos veículos movidos com motores a combustão.

A expectativa da Volvo CE é que o uso de hidrogênio como combustível se popularize a partir de 2025.

Siga o Blog do Caminhoneiro nas redes sociais

Deixe um comentário!

Salários de R$ 450 mil ao ano não atraem motoristas para o transporte de grãos nos EUA Johnny Cash comprou e nunca usou um Peterbilt 359 Conheça o caminhão que foi o primeiro bitruck do Brasil Auxílio de R$ 1.000 para caminhoneiros é aprovado Conheça os detalhes do projeto Roda Bem Caminhoneiro