Senadores pedem derrubada do veto de Bolsonaro ao auxílio emergencial para caminhoneiros

por Blog do Caminhoneiro

Caminhoneiros e diversas outras categorias de trabalhadores ficaram de fora do recebimento do auxílio emergencial, já que o projeto aprovado pelo Senado teve diversos vetos do Presidente Jair Bolsonaro.

Logo após a publicação dos vetos no Diário Oficial da União, senadores usaram as redes sociais para protestar contra a decisão.

Randolfe Rodrigues (Rede-AP), senador que foi o autor do projeto original para ampliação do benefício, destacou que o auxílio emergencial ajuda as famílias em um momento muito crítico, e criticou o presidente.

“Bolsonaro lava suas mãos em uma bacia de sangue! Quantos desses trabalhadores e quantas dessas famílias sofrerão, além da crise, com a fome e a falta de recursos? Covarde! Vamos lutar pela derrubada desses vetos!”, afirmou.

De acordo com os senadores, o veto deve ser analisado o mais rápido possível, já que muitos brasileiros dependem desses recursos.

De acordo com o Governo Federal, o veto se deu pela falta de indicação da origem dos recursos, e pela falta de isonomia, já que a proposta beneficia algumas profissões em detrimento de outras.

“Deve ser uma discussão tensa em razão da atual situação fiscal do país. Não tem dinheiro, mas devemos chegar a um consenso, a um entendimento. Para muitos, sobram problemas como saúde, aluguel… E falta o essencial, que é o alimento. Portanto, o governo deve sim encontrar uma solução”, afirmou o senador Chico Rodrigues (DEM-RO).

Se o projeto fosse sancionado pelo presidente como saiu do Senado, caminhoneiros e diversas outras categorias de trabalhadores teriam direito de receber o auxílio emergencial.

Com os vetos do presidente, apenas mães solteiras menores de idade foram incluídas na lista de pessoas aptas a receberem o valor do auxílio, que é de R$ 1.200,00 para mulheres chefes de família.

Blog do Caminhoneiro

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

Artigos relacionados

4 comentários

Daniel de Oliveira Souza 18/05/2020 - 22:17

Hora hora mais!!!! Logo a classe que impulsionou a eleição desse escroto. Qual foi o problema agora, vamos continuar com o apoio mesmo quando ele soca o dedo no “piiiiiiii” de todos uai. Num é disso que vocês gostam mesmo….

Reply
Angelo 18/05/2020 - 16:14

Larga de ser baba-ovo Leovaldo. O motivo de estarmos trabalhando não justifica o veto. A oferta de fretes caiu muito e a classe merecia sim a ajuda. Ou talvez vc está com a bunda cheia de dinheiro né e não precisa.

Reply
Leovaldo Gonsalez 18/05/2020 - 09:29

Ele está certo em vetar, já que por não deixarem opção…tipo “conceder apenas para os motoristas desempregados”.
Pq há uma lógica no veto. Se somos serviço essencial, estamos trabalhando e recebendo, e portanto, sem necessidade deste tipo de auxílio. O que precisamos não são 600 reais.

Reply
RENÊ COSTA 17/05/2020 - 19:41

BOLSONARO ESTÁ PISANDO NA BOLA AO DESMERECER AOS CAMINHONEIROS O AUXÍLIO EMERGENCIAL. SE OS CAMINHONEIROS PARAREM AÍ É QUE A MERDA VAI SER GRANDE PARA O GOVERNO FEDERAL E AO BRASIL. AS COISAS SÃO ESTÃO PIORANDO E ENQUANTO O BRASIL AFUNDA IGUAL O TITANIC TEM UMA BANDA TOCANDO E ESSA BANDA CHAMA SE CAMINHONEIROS 👽👽

Reply

Deixe sua opinião sobre o assunto!